12/04/15 - NOTA DE REPÚDIO À CHARGE DE MAURÍCIO RICARDO

 
Nota de Repúdio à Charge de Maurício Ricardo
 
              A Federação Brasileira dos Servidores Penitenciários - Febrasp Brasil, representante da categoria dos Agentes Penitenciários em todo país, vem a público externar a sua total indignação e repúdio quanto a charge intitulada " Impossível Barrar" produzida pelo chargista Maurício Ricardo, e publicada no website "charges.uol.com.br", bem como na fanpage do facebook do mesmo autor nesta rede social.

             Quem olha desatentamente, pode achar que se trata de simples brincadeira, com objetivo de entreter os internautas que acessam o UOL ou a fanpage. Mas, quem sabe da dura realidade que assola os presídios brasileiros se sente frontalmente atacado, ainda mais quando a infeliz charge rotula uma categoria profissional de mais de 100 mil servidores de corrupta, como fez de forma genérica Maurício Ricardo.

             Cabe aqui destacar que diuturnamente, são estes servidores, os agentes penitenciários, que mantem sociedade segura, ao garantir que mais de 600 mil pessoas presas cumpram a sua pena. É bem verdade, que apesar do profissionalismo e da vontade de prestar um serviço público de qualidade, estes profissionais não tem do estado mínimas de condições de trabalho, quando laboram em condições subumanas, em estruturas arcaicas que remontam a Idade Média, onde seres humanos, presos ou não, são tratados com total falta de respeito e dignidade.É bem verdade que o chargista em questão não deve saber que os presídios brasileiros não oferecem as mínimas de reintegração social as pessoas ali encarceradas e nem de condições de trabalho aos servidores penitenciários, recebendo esses últimos toda a carga negativa dos infortúnios advindo da vida e trabalho no cárcere.

            Apesar disso tudo, da falta de condições de trabalho, dos baixos salários, das péssimas condições de trabalho, e sobretudo, apesar dos rótulos impostos por autoridades e outros formadores de opinião, esta laboriosa categoria faz muitas vezes jornada, dupla, tripla, para garantir a missão de custodiar e guardar aqueles que a sociedade faz questão de não enxergar, mas que se amontoam nas prisões brasileiras sob o cuidado de uma categoria profissional, muito pouco valorizada: Os agentes Penitenciários!

            Esta laboriosa categoria que sobre diuturnamente com os efeitos do seu trabalho, muitas vezes é perseguida e até assassinada nas ruas por combater, por dever de ofício, a delinquência dentro das prisões, não cobra charges nem holofotes. O que estes profissionais desejam é só cumprir o seu plantão e voltar para casa com a sensação de dever cumprido, sem ter virado refém em uma rebelião, para a estatística fria do Estado.

           Apesar destas fatos, não nos colocamos na condição de vítimas. Sabemos da nossa missão. Mas também não merecemos o rótulo corruptos, pois não compactuamos com desvios de conduta do profissional penitenciário e lutamos para que, aqueles que assim agem, sejam processados e punidos. Mas fique sabendo Sr.Maurício Ricardo, que eles são a exceção, e não a regra. Mesmo assim não vimos muitas charges por ai enaltecendo esse duro trabalho.

          Como prova da nossa convicção, convidamos o chargista Maurício Ricardo a passar uma semana dentro de uma unidade prisional, acompanhando o trabalhando de um agente penitenciário! Plantões ininterruptos, claro, sem direito a descanso ou hora de almoço, assim como ocorre com todos os agentes, na paradoxa missão de conter rebeliões, guardar a segurança da sociedade e ainda reconduzir o preso ao convívio social com menos capacidade de dano possível. Topa? Pode até fazer uma charge depois. Mas talvez essa não tenha tanta graça A FEBRASP BRASIL informa ainda que irá demandar o Sr. Maurício Ricardo e o site UOL na justiça, e que o valor da ação por danos morais, caso exitosa, será revertido a própria categoria, em critério a ser definido através de enquete em nossa fanpage.
 
 

 
 

«Voltar
FEBRASP - Federação Brasileira dos Servidores Penitenciários - 2014 ® Todos os Direitos Reservados